Serviço de Desentupidora em São paulo

Alvo de mandado no inquérito que a produção de notícias falsas diz que a liberdade de expressão está sendo cercada | Norte e Noroeste


Em uma transmissão ao vivo em uma rede social, Bernardo Kuster contou que acordou com as equipes da Polícia Federal na casa dele e que os agentes levaram computador, tablet, celular e um HD externo da mãe que faleceu há seis anos.

Desentupidora Daqui da Cidade Faz todos os serviços de  Desentupidora em todos Bairros da Cidade, a qualquer hora do dia ou a da noite pode contar com A Desentupidora Daqui da Cidade atende em qualquer bairro da Cidade e em toda a Região. A Desentupidora da Cidade faz todos os serviços de Desentupimento de Esgoto neste que é um dos Bairros mais querido da nossa Cidade. Caso queira ver nossa tabela de preço para serviço de Desentupidora em Cidade Clique aqui.

Desentupidora Daqui da Cidade atende 24 horas em todos os bairros da Cidade

Desentupidora
Desentupidora Daqui da Cidade
 

"Não sabemos nada sobre o inquérito, não há nenhum fato.

Kuster criticou a operação e disse que agora está sem meio trabalho, uma vez que levaram todos os equipamentos eletrônicos que utiliza.

"Passaram dos limites. Agora não é possível falar com Alexandre de Moraes. Fale com o meu advogado e estamos aceitando todas as providências, inclusive no âmbito internacional para menos termos de acesso aos automóveis. Como vou prestar depoimento se não souber o que trata ? ", disse.

Bernardo Kuster concluiu ainda que as investigações prejudicam a liberdade de expressão.

"Parece que é uma criminalização do bolsonarismo. Como acelerar os pedidos sem estar presente no advogado, sem saber o que fazer. Está cercando a minha liberdade de expressão, configurar abuso de poder. Quem garante que eles não passarão como minhas conversas para aliados ou não vai pegar o meu telefone? Estou tranquilo quanto ao conteúdo que tem (nos equipamentos) lá ", gravado.

  • Inquérito do STF que investiga notícias falsas: veja perguntas e respostas

Bernardo Kuster se pronuncia por uma rede social – Foto: Reprodução / Instagram

Ao longo das investigações, laudos técnicos que demonstraram que um grupo produz e divulga como notícias falsas, sempre com o mesmo padrão. Foram criados pelo menos quatro financiadores desse grupo.

As investigações já identificaram os menos 12 registros em redes sociais que atuaram na disseminação de informações, de forma padronizada, contra ministros do tribunal.

Isso significa, por exemplo, que esses registros encaminham o mesmo tipo de mensagem, da mesma forma, na mesma periodicidade. Técnicos informações cruzadas para tentar localizar financiadores desses perfis.

Além das apreensões, o ministro Moraes determina ainda que os deputados devem ser ouvidos no inquérito em até 10 dias. Entre eles está o deputado federal Filipe Barros (PSL), que é de Londrina.

Por meio das redes sociais, o deputado disse que não recebeu nenhuma notificação sobre prestação de PF na PF, em nenhum endereço de Londrina ou em Brasília. Disse que tem "o direito de se manifestar livremente contra posturas autoritárias e equivalentes de ministérios do STF".

"Tenho consciência de que parte da população que também não concorda com tais abusos, e os eleitores que confiam ou votam em mim esperam o que já fizeram. Reafirmo, não me calarei", concluiu.

OPERAÇÃO DA PF CONTRA NOTÍCIAS FALSAS



Fonte: Post Completo

Leave a Comment