Banca de concurso nega vazamento de foto da jovem acusada na web de fraudar cota racial em prova para PF | Distrito Federal


Desde a semana passada, as imagens de Glaucielle circulam na internet, como tendo sido feita para garantir a classificação. O que chamou a atenção, foi a diferença entre as fotos durante a banca e as postadas pela jovem, em momentos de lazer.

Desentupidora Daqui da Cidade Faz todos os serviços de  Desentupidora em todos Bairros da Cidade, a qualquer hora do dia ou a da noite pode contar com A Desentupidora Daqui da Cidade atende em qualquer bairro da Cidade e em toda a Região. A Desentupidora da Cidade faz todos os serviços de Desentupimento de Esgoto neste que é um dos Bairros mais querido da nossa Cidade. Caso queira ver nossa tabela de preço para serviço de Desentupidora em Cidade Clique aqui.

Desentupidora Daqui da Cidade atende 24 horas em todos os bairros da Cidade

Desentupidora
Desentupidora Daqui da Cidade
 

Os advogados dela afirmam que não houve fraude e dizem que vão recorrer à Justiça para apurar o vazamento da fotografia que teria sido feita durante a seleção, pelo Cespe / Cebraspe. A banca diz que não tirou fotos, mas que entrevista foi gravada em vídeo (veja íntegra da nota mais abaixo)

Fotos de Glaucielle da Silva Dias compartilhadas nas redes sociais – Foto: Instagram / Reprodução

Ao G1, o Cebraspe informou que a Polícia Federal pediu informações sobre o procedimento de heteroidentificação da candidata, e que tudo já foi enviado. “Não houve, de forma alguma, vazamento de informações ou imagens da candidata”, diz a banca.

O órgão responsável pelo concurso aponta ainda que quando ocorre suspeita ou denúncia de fraude, o que cabe ao centro de seleção é enviar todas as informações necessárias à apuração para a polícia. “Compete ao Cebraspe observar a legalidade dos procedimentos relacionados ao concurso público e garantir como informações e documentos de base para eventual apuração de crime”, afirma o centro ligado à Universidade de Brasília (UnB).

No dia 14 de setembro, a exoneração de Glaucielle da Silva Dias, da Polícia Federal, foi publicada no Diário Oficial da União. Segundo os advogados Rinaldo Mouzalas e Valberto Azevedo, a própria concursada pediu o afastamento.

Após a repercussão do caso, os advogados afirmaram que a jovem é “filha de empregada doméstica, membro de uma humilde família de negros do interior do Rio de Janeiro”. Glaucielle publicou um vídeo nas redes sociais onde diz que nunca escondeu que teve acesso ao concurso por cotas (veja abaixo)

Examinadores ‘sensibilizados’

Segundo os advogados, Glaucielle Dias se verdadeira negra no concurso e citou a “difícil história familiar”. Eles afirmam que os detalhes sensibilizaram a banca.

“Tendo comparecido presencialmente ao exame, quando se diz negra e narrou a sua difícil história familiar, [a candidata] sensibilizou-se os examinadores “, dizem os advogados de Glaucielle.

Foto de Glaucielle da Silva Dias que circula nas redes sociais – Foto: Reprodução

A defesa aponta ainda que Glaucielle estudou em escola pública e precisou trabalhar para pagar uma faculdade particular. A nota afirma que a candidata não teve acesso a lazer ou a “cuidados de beleza” durante um ano e sete meses, período em que se dedicou ao concurso da PF.

Eles dizem que algumas imagens, nas redes sociais, “possuem filtros que estariam mascarando a aparência real do cliente”. Os advogados explicam que “[a defesa] utilizará de todos os meios disponíveis para responsabilizar estes infratores pelos atos ilícitos cometidos “.

Leia íntegra da nota do Centro de Seleção e Promoção de Eventos, da Universidade de Brasília (Cespe / Cebraspe):

“Compete ao Cebraspe observar a legalidade dos procedimentos relacionados ao concurso público e garantir como informações e documentos incluídos para eventual apuração de crime.

Ressalta-se que o Cebraspe não tira fotos na etapa de heteroidentificação. Essa etapa ocorre presencialmente e é gravada em vídeo no momento em que está ocorrendo, para fins exclusivos de registro da avaliação e uso da comissão de heteroidentificação.

Quando ocorre suspeita ou denúncia de fraude, o que cabe a este Centro é enviar todas as informações necessárias à apuração para a polícia. No caso da candidata citada pela reportagem, a Polícia Federal requisitou todas as informações sobre o procedimento de heteroidentificação e o Cebraspe as adicionou oficialmente.

Não houve, de forma alguma, vazamento de informações ou imagens da candidata por parte do Cebraspe. “

VÍDEOS: as notícias mais assistidas do G1

Leia mais notícias sobre a região no G1 DF.



Fonte: Post Completo