Bloqueio de cargas vagos não afeta o concurso TJ RJ. Entenda!


No final de junho, o governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, propõe uma série de compensações financeiras para manter o Estado no Regime de Recuperação Fiscal (RRF). Uma delas foi o bloqueio de mais de 9 mil vagos vagos, por meio do Decreto 47.147 / 20.

Desentupidora Daqui da Cidade Faz todos os serviços de  Desentupidora em todos Bairros da Cidade, a qualquer hora do dia ou a da noite pode contar com A Desentupidora Daqui da Cidade atende em qualquer bairro da Cidade e em toda a Região. A Desentupidora da Cidade faz todos os serviços de Desentupimento de Esgoto neste que é um dos Bairros mais querido da nossa Cidade. Caso queira ver nossa tabela de preço para serviço de Desentupidora em Cidade Clique aqui.

Desentupidora Daqui da Cidade atende 24 horas em todos os bairros da Cidade

Desentupidora
Desentupidora Daqui da Cidade
 

Esse bloqueio pode influenciar nas nomeações do concurso para o Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ RJ)? Para descobrir a resposta, FOLHA DIRIGIDA converse com a professora de Legislação Específica, Claudete Pessôa, do curso Super professores.

Claudete, que também é servidora do TJ RJ, explicou que bloqueio do governador não atinge o tribunal em função da independência dos poderes estaduais. Inclusivo, o Poder Judiciário é dotado de autonomia institucional.

“O bloqueio do Governador, o Chefe do Poder Executivo, não atinge o TJ RJ enfrenta uma independência dos poderes estaduais. Isso é facilmente selecionado no ato do governador que elena o rol de cargas integradas ou vinculadas ao Poder Executivo ”, detalhou Claudete.

De acordo com a professora, a faixa também alcança o âmbito administrativo, funcional e financeiro. Por orçamento independente do executivo, Claudete afirmou que O TJ do Rio de Janeiro pode realizar o concurso normalmente e nomear os aprovados.

TJ RJ tem concurso aberto para 160 vagas de níveis médio e superior
TJ RJ tem concurso aberto para 160 vagas de níveis médio e superior
(Foto: Diego Santos)

“Com estes fundamentos, o TJ RJ pode realizar ou nomear os candidatos, visto com orçamento independente do Executivo, como ocorre com o Legislativo, Ministério Público, Defensoria e outras instituições dotadas de plano orçamentário próprio”, apontou.

iluminadoOs concursos para tribunais de justiça não podem conceder autorização prévia ao governador, diferentemente das seleções para órgãos do Poder Executivo. No caso dos tribunais, o próprio presidente do TJ pode dar esta avaliação e sequência aos demais trâmites das seleções, como convocações.

Claudete relembrou que a TJ RJ foi atingida anteriormente por questionário anterior, quando o atual presidente do tribunal, desembargador Claudio de Mello Tavares, assumiu e anunciou a realização de convocações e novo concurso.

“Muitos questionaram o RRF, mas a autonomia institucional é de ordem constitucional e de segurança do estabelecimento administrativo, funcional, financeiro e iniciativa legislativa”.

+ Quer ser aprovado no concurso TJ RJ? Descubra maneira eficaz!

Como o Regime de Recuperação Impacta Decisões do TJ RJ?

Claudete Pessôa esclareceu que o Regime de Recuperação Fiscal pode impactar nas decisões do Tribunal de Justiça, mas de forma individual. Cada órgão tem autonomia para decidir sobre o preenchimento de vagas por aprovar em concursos.

“O RRF impacta nas decisões, é claro, mas de forma individual, onde cada órgão / instituição, sem exercício de sua autonomia, analisa a conveniência e a oportunidade de preenchimento de cargas vagas”.

Professora Claudete Pessôa
Professora Claudete Pessôa
(Foto: Arquivo Pessoal)

A professora ainda ressaltou a possibilidade de arrecadação por conta da crise do Coronavírus. O que, na opinião dela, deve ser analisado pelo tribunal de nomeação dos candidatos no concurso TJ RJ.

“Infelizmente agora temos uma queda na isolação decorrente do isolamento em Covid-19. Esses fatores são analisados, com autonomia, pelos chefes dos poderes / instituições ”, explicou.

O Tribunal de Justiça, em fevereiro, edital do concurso TJ RJ com 160 vagas. No total, 85 são para técnico judiciário, carreira de nível médio.

Quanto mais 75 chances são para o analista judiciário, o que exige o nível superior em áreas específicas. Os ganhos são de R $ 5.556,06 e R $ 8.059,89, respectivamente.

A exceção é para analista judiciário – Execução de Mandados (oficial de justiça), valores são de R $ 9.972,05.

Em função do Coronavírus e das orientações de distância, ou órgão suspenso ou concurso.

No final de junho, o tribunal iniciou o Plano de Retorno às atividades presidenciais do Poder Judiciário. Essa flexibilização das medidas de isolamento social pode ser positiva para reforma do concurso TJ RJ.

Resumo concurso TJ RJ 2020

  • Órgão: Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro
  • Vagas: 160
  • Cargas: técnico e analista judiciário
  • Remunerações: R $ 5.556,06 a R $ 9.972,05
  • Banca: Cebraspe

Concurso TJ RJ pode ser corrigido no segundo semestre

O presidente do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro já apontou que o concurso pode ser retomado no segundo semestre deste ano. Claudio de Mello Tavares também disse, com exclusividade para FOLHA DIRIGIDA, que as inscrições do concurso para técnicos e analistas judiciários serão reabertas.

Assim como o pagamento das taxas de R $ 80 para técnico judiciário (carga de nível médio) e R $ 100 para analista judiciário (nível superior).

"Informo que serão abertos como inscrições no momento em que o concurso será retomado com ampla divulgação na mídia. O prazo de pagamento será reaberto na ocorrência de retomada do concurso".

Todos os concorrentes devem usar provas objetivas, de caráter eliminatório e classificatório. Apenas os inscritos no analista também passam, no mesmo dia, a exames discursivos, de caráter eliminatório e classificatório.

Segundo o edital, uma aplicação seria no dia 7 de junho. O órgão, porém, chegou a informar uma retificação alterando os dados de 21 de junho. Pelos desdobramentos da pandemia de coronavírus, os exames foram adiados pela segunda vez.

As exigências objetivas necessárias 60 questões, das quais:

  • 20 de Conhecimentos Gerais
  • 40 de Conhecimentos Específicos

O valor total do exame será de 60 pontos, de maneira a obter uma classificação quem atingir o mínimo de 10 pontos em Conhecimentos Gerais e 20 em Conhecimentos Específicos.

Em entrevista à FOLHA DIRIGIDA, após suspensão do concurso, o diretor de Gestão de Pessoas do Tribunal, Gabriel Albuquerque Pinto afirmou que a estrutura de provas e os conteúdos programáticos são mantidos.



Fonte: Post Completo