Serviço de Desentupidora em São paulo

Cidades de SP sem cobertura são pequenas, sem hospital e começam a reabrir – 11/07/2020


O Estado de São Paulo registrou, na última sexta-feira (10), 359.110 casos da covid-19 e 17.442 mortes pela doença. Apesar disso, dos 645 municípios do estado, 13 foram "esquecidos" pelo novo coronavírus e não registrou nenhum caso até ontem.

Desentupidora Daqui da Cidade Faz todos os serviços de  Desentupidora em todos Bairros da Cidade, a qualquer hora do dia ou a da noite pode contar com A Desentupidora Daqui da Cidade atende em qualquer bairro da Cidade e em toda a Região. A Desentupidora da Cidade faz todos os serviços de Desentupimento de Esgoto neste que é um dos Bairros mais querido da nossa Cidade. Caso queira ver nossa tabela de preço para serviço de Desentupidora em Cidade Clique aqui.

Desentupidora Daqui da Cidade atende 24 horas em todos os bairros da Cidade

Desentupidora
Desentupidora Daqui da Cidade
 

Em comum, como 13 cidades têm menos de 6.000 habitantes, nenhum desses tem hospital e 10 desses (77%) estão localizados em regiões na fase laranja do Plano São Paulo, que permite apenas uma reabertura parcial de comércio e serviços. Os outros três municípios estão na fase vermelha e podem abrir o comércio e os serviços essenciais.

Das 13 cidades, 11 (85%) estão nos extremos do estado, divididos ou muito perto dos quatro estados que fazem fronteira com São Paulo: Paraná, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais e Rio de Janeiro.

As cidades de São Paulo sem cobertura 19

Jeriquara e Ribeirão Corrente, na área de DRS (Departamento Regional de Saúde), de Franca, próximas à divisa com Minas Gerais;
Nova Canaã Paulista, na DRS de São José do Rio Preto, próximo ao Mato Grosso do Sul;
Nova Independência, na DRS de Araçatuba, também perto do MS;
Arco-Íris, Cruzália e Florínea, na DRS de Marília, a última divisão do Paraná;
Balbinos, na DRS de Bauru;
Monte Castelo e Santa Mercedes, na DRS de Presidente Prudente, também perto do MS;
Bom Sucesso de Itararé, DRS de Piracicaba e divisão do Paraná;
Lagoinha e São José do Barreiro, na DRS de Taubaté, a mais recente, dividida no Rio de Janeiro.

Cidade oferece máscaras para metade da população livre

"Nova Independência procurou antecipar pandemia. Uma cidade não esperou o coronavírus chegar para tomar medidas, medidas que foram usadas exageradas no princípio, mas que surtiram efeito", afirmou ao UOL uma assessoria de comunicação da cidade.

Entre as medidas apontadas pelo município, que têm 3.969 habitantes, estão investindo rapidamente para comprar álcool em gel e 1.500 máscaras, ou o suficiente para metade da população livre da cidade, que tem um centro de detenção provisória com cerca de 1.000 vítimas.

Como máscaras foram distribuídas com prioridade à população mais vulnerável, tanto economicamente quanto em relação à doença (idosos e diabéticos, por exemplo, foram priorizados). A contribuição entrou no escritório em casa e as pessoas com risco aumentado de contrair uma doença foram impedidas de trabalhar.

Na reabertura do comércio, a Nova Independência executa barreiras sanitárias para obter informações e fazer a desinfecção dos veículos dos agricultores agrícolas que vendem produtos na feira da cidade.

"Todos foram orientados a usar máscaras e álcool em gel nas barracas", afirma o estado, que é gerido por um profissional de saúde, uma enfermeira Thauana Duarte (PSDB).

Ser pequena ajuda, diz governo de São Paulo

Para o médico Paulo Menezes, coordenador do Centro de Contingência de Covid-19 em São Paulo, uma das principais razões para haver cidades sem uma covid-19 é que os municípios ainda sem a doença são muito pequenos, com população menor que a média do Estado, facilitando o monitoramento dos eventuais casos suspeitos e divulgando as informações e, portanto, "há mais pessoas respeitando o distanciamento social e usando máscaras", afirmou.

"Aprendemos com situações como essas que podem ser educativas e inspiradoras", afirmou Menezes.

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, 28,2% dos 5.570 municípios brasileiros têm menos de 6.000 habitantes, assim como 13 cidades de São Paulo ainda sem cobertura-19. Ao todo, são 1.576 cidades do Brasil que possuem menos de 6.000 habitantes, segundo uma lista de municípios do Brasil por população, elaborada com base em dados populacionais estimados em 1 de julho de 2019.

Mas nem tudo é otimismo. Nova Independência lamenta seguir a fase vermelha do Plano São Paulo, pois está na região da DRS de Araçatuba, que ainda está na primeira fase do Plano São Paulo.

Pequenas e sem hospitais

As cidades sem cobertura convivem com a realidade de viver sem hospitais. Nenhuma das 13 unidades de um hospital, mas investe em Unidades Básicas de Saúde e no Plano de Saúde da Família e em convenções com cidades vizinhas para garantir as internações quando necessárias.

Os moradores de Nova Independência, por exemplo, são levados em caso de internação para Andradina e, nos casos mais complexos, Araçatuba. Os cristãos de Balbinos que precisam ser internados vão para Pirajuí. Os de Florínea, para Assis, e assim por diante.

Apesar de precisarem deslocar-se para um hospital, os moradores das 13 cidades podem respirar aliviados com postagens no Instagram como esse abaixo, publicado por Lagoinha, no Vale do Paraíba.

Reabertura rápida à presença da covid em pequenas cidades

Para Domingos Alves, professor de medicina social da USP de Ribeirão Preto e um dos coordenadores da iniciativa Covid-19 Brasil, que estuda diversas universidades brasileiras que monitoram uma pandemia de forma regionalizada pelo país, uma reabertura paulista acelerada na presença de uma doença em pequenas cidades.

Ele toma como exemplo a área de cobertura do Departamento Regional de Saúde de São José do Rio Preto, incluindo a zona laranja do plano de reabertura desde 27 de maio pelo governo do Estado, que permite recuperar o comércio de ruas e compras,

Das 102 cidades sob tutela do departamento, apenas uma, Nova Canaã Paulista, ainda não há registros de casos covid-19, mas 17 cidades da região registradas ou o primeiro caso nos últimos 30 dias, inclusive Santa Rita D'Oeste, que deixou uma lista de cidades sem cobertura nesta sexta-feira (10).

Agentes penitenciários com covid, mas cidade não tem casos

Na área do Departamento Regional de Marília chama a atenção ou o caso de Florínea. Localizada na divisão de São Paulo com o Paraná, uma cidade com 2.676 habitantes, segundo estimativa do IBGE, de 2019, e uma penitenciária.

Segundo ou Sifuspesp (Indicador dos Funcionários do Sistema Prisional do Estado de São Paulo), três servidores do presídio da cidade com cobertura covid-19, com um óbito, mas o município não tem nenhum caso de doença nos registros da Secretaria Estadual de Saúde.

A SAP (Secretaria de Administração Penitenciária), sem balanço que publica sobre um covid-19 sem sistema prisional, não informa sobre os presídios Ocorre nos casos confirmados de doenças entre servidores e gravados, apenas o total geral, atualmente com 355 funcionários com doença e 19 mortes, e 304 mortes e 15 mortes.

Segundo secretaria de Saúde, os casos são registrados no município de domicílio da pessoa infectada. O indicador não conseguiu acessar a residência dos servidores sofridos, nem o funcionário que faleceu.



Fonte: Post Completo