Coronavrus vai chegar a Campinas


Desentupidora Daqui da Cidade Faz todos os serviços de  Desentupidora em todos Bairros da Cidade, a qualquer hora do dia ou a da noite pode contar com A Desentupidora Daqui da Cidade atende em qualquer bairro da Cidade e em toda a Região. A Desentupidora da Cidade faz todos os serviços de Desentupimento de Esgoto neste que é um dos Bairros mais querido da nossa Cidade. Caso queira ver nossa tabela de preço para serviço de Desentupidora em Cidade Clique aqui.

Desentupidora Daqui da Cidade atende 24 horas em todos os bairros da Cidade

Desentupidora
Desentupidora Daqui da Cidade
 
Segundo o secret

Cedoc / RAC

Segundo segredo de Sade, Carmino de Souza, sem casos suspeitos na cidade, no momento

Embora não existam casos suspeitos em Campinas, o secretário municipal de Saúde, Carmino Antônio de Souza, acredita que o coronavírus chegará à cidade. “Ainda não há casos suspeitos em Campinas. Mas temos um aeroporto internacional. Campinas é uma cidade cosmopolita e a velocidade com que o coronavírus está evoluindo, em termos internacionais, faz com que ele chegue aqui. Um progresso é mais que geométrico, é exponencial na China ”, explicou Carmino.

O secretário de Saúde ressaltou que não há motivo para o pânico. "Não é para as pessoas ficarem no pânico, nem mudarem seu ritmo de vida. O vírus se forma de forma muito parecida com um quadro municipal e a maioria dos contaminados não precisa de internação", afirmou.

Plano de ação

Para preparar a chegada do vírus, a Prefeitura de Campinas já desenvolveu um plano de ação amplo. Segundo ou secretário Carmino de Souza, uma rede de saúde já está mobilizada, preparada para colocar em prática ou plano de ação.

“Estamos trabalhando com a Rede Mário Gatti, toda a rede de saúde e o Departamento de Vigilância em Saúde (Devisa)", disse.

Já foram realizadas reuniões com todos os hospitais da rede pública e privada do município. Além disso, como equipes estão sendo treinadas e estarão disponíveis dentro de unidades de saúde extras.

"Não podemos ser pegos de calças curtas. Precisamos de unidades de saúde para todo o material necessário, como máscaras cirúrgicas, álcool gel e intensificar a comunicação", afirmou Carmino.

Divulgação de informação

Um dos principais focos do plano de ação da Prefeitura de Campinas é a difusão da informação. Para isso, a Secretaria de Saúde prepara um material visual com informações e orientações sobre a doença e quem precisa ficar atento.

O cartaz que será afixado em todas as unidades de saúde para informar os pacientes sobre o coronavírus foi apresentado nesta semana à imprensa. Logo que estiver impresso, será colocado nas unidades de urgência e emergência da cidade.

O cartaz é específico para quem procura atendimento. Traz a seguinte informação: "Se você esteve na China nos últimos 30 dias, passe álcool em gel nas mãos, coloque uma máscara e obtenha a recepção", referindo-se à recepção das unidades de saúde. As informações estão em português e em inglês.

Como medidas ainda envolvem visitas de profissionais de saúde a sete empresas chinesas instaladas em Campinas, para fornecer orientações sobre prevenção de coronavírus.

Segundo Carmino, para quem suspeita de doença, é preciso que uma pessoa que apresente os sintomas tenha viajado para a China nas últimas quatro semanas. Isso ocorre porque, o período de incubação é de duas semanas e a pessoa doente transmite o vírus por mais ou menos três semanas.

Na região, são três os casos suspeitos

Até ontem, eram três os casos de suspeita de coronavírus na Região Metropolitana de Campinas (RMC), divulgados pelos órgãos de saúde. Dois casos suspeitos são de moradores de Paulínia e um de Americana.

Paulínia registrou o primeiro caso na região: um homem de 45 anos, que retornou de viagem à China e apresentou febre, tosse, coriza e dificuldades respiratórias. Ele foi atendido em um hospital particular de Campinas.

O segundo caso de morador de rua isolado é apenas o profissional de saúde, de 30 anos, que atendeu esse homem no hospital em Campinas. Embora trabalhe em Campinas, ela mora em Paulínia.

O caso de Americana – o terceiro – é um menino de três anos que também voltou de viagem à China recentemente. Ele tem febre, coriza e dor
de garganta.

Os três pacientes não estão internados. Encontrado em isolamento em casa com família.

Escrito por:

Francisco Lima Neto / AAN



Fonte: Post Completo

Leave a Comment