Eleições em BH: Kalil tem 63,6%, e cenário é de estabilidade, diz DataTempo / CP2


A mais nova pesquisa DataTempo / CP2 para a disputa da Prefeitura de Belo Horizonte, contratada pela Sempre Editora, mostra um cenário de estabilidade e com grande vantagem do prefeito e candidato à reeleição Alexandre Kalil (PSD). Foi a primeira vez, no entanto, que a alta do líder das pesquisas foi interrompida. Os candidatos apenas oscilaram dentro da margem de erro do levantamento, que é de 2,53 pontos percentuais para mais ou para menos. Se as caracterizadas por hoje, Kalil seria reeleito no primeiro turno, com grande vantagem.

Desentupidora Daqui da Cidade Faz todos os serviços de  Desentupidora em todos Bairros da Cidade, a qualquer hora do dia ou a da noite pode contar com A Desentupidora Daqui da Cidade atende em qualquer bairro da Cidade e em toda a Região. A Desentupidora da Cidade faz todos os serviços de Desentupimento de Esgoto neste que é um dos Bairros mais querido da nossa Cidade. Caso queira ver nossa tabela de preço para serviço de Desentupidora em Cidade Clique aqui.

Desentupidora Daqui da Cidade atende 24 horas em todos os bairros da Cidade

Desentupidora
Desentupidora Daqui da Cidade
 

De acordo com os números da pesquisa estimulada, quando o nome dos candidatos é apresentado ao eleitor, Kalil oscilou de 64,8% das intenções de voto totais para 63,6%. Se desconsiderados os votos brancos e nulos e os indecisos para que possa ser simulado o índice de votos válidos, Kalil estaria pouco acima de 75%. Para ser eleito no primeiro turno, um candidato precisa de 50% mais um voto.

Bem longe de Kalil, os demais candidatos continuam embolados, mas com vantagem numérica para João Vítor Xavier (Cidadania) mais uma vez. Ele oscilou de 4,4% para 5,5% das intenções. Em terceiro aparece numericamente Bruno Engler (PRTB), que passou de 1,7% para 3,4%. Assim, ele está à frente de Áurea Carolina (PSOL), que foi de 3,3% para 3%. Já Nilmário Miranda (PT) oscilou de 1,6% para 2,4%.

O candidato do Novo, Rodrigo Paiva, passou de 1,2% para 1,4%. Com isso, ele aparece empatado com Wendel Mesquita (Solidariedade), que oscilou de 0,8% para 1,4%.
Luísa Barreto (PSDB) oscilou de 0,8% para 0,7%, enquanto Cabo Xavier (PMB) foi de 0,5% para 0,6%.
Marcelo Souza e Silva (Patriota) manteve os 0,5% e, com isso, agora está empatado com Lafayette Andrada (Republicanos), que foi de 0,3% para 0,5%.

Completam a lista da pesquisa estimulada: Wadson Ribeiro (PCdoB), que foi de 0,1% para 0,4%; Marília Domingues (PCO) passou de 0,2% para 0,3%; Fabiano Cazeca (PROS) oscilou de 0,3% para 0,1%; e Wanderson Rocha (PSTU) passou de 0,4% para 0,1%.

Os eleitores que pretendem votar em branco, nulo ou que dizem que não escolher nenhum candidato candidato a candidatura de 9,7% para 8,5%. Os que não soubeam ou não responderam foram de 9,7% para 7,6%.

Quando os nomes dos candidatos não são promovidos ao eleitor, é possível percebermos o quão firmes são os votos citados pelos entrevistados mais claramente. A situação, porém, não muda muito em relação ao levantamento estimulado, de acordo com os números do DataTempo / CP2.

Na pesquisa espontânea, Kalil alcança 58,9% dos entrevistados, enquanto João Vítor Xavier fica com 2,7%. Áurea Carolina aparece com 1,9%, mesma pontuação de Bruno Engler. Já Nilmário Miranda soma 1,3%, enquanto Rodrigo Paiva foi citado por 0,7% dos eleitores e Wendel Mesquita ficou com 0,2%. Foram citados ainda: Marcelo Souza e Silva, Cabo Xavier (PMB), Lafayette Andrada, Luísa Barreto (PSDB) e Wadson Ribeiro. Todos eles aparecem com 0,1%. Ainda houve citações de outros nomes que não estão na disputa por 1,5% dos entrevistados.

Os que disseram que não votarão em ninguém, ou que pretendem votar em branco ou nulo são 9,5%. Os que não informaam ou não responderam são 21,1% na pesquisa estimulada.

Registro. Uma pesquisa DataTempo / CP2 contratada pela Sempre Editora foi realizada com 1.500 eleitores, entre os dias 26 e 29 de outubro. A margem de erro é 2,53 pontos percentuais para mais ou para menos. O nível de confiança é de 95%. Registro no TRE: MG-06041/2020.

Decisão de voto já é definitiva para 58,9%

Além da vantagem na pesquisa, o prefeito e candidato à reeleição Alexandre Kalil (PSD) ganhou outro motivo para acreditar em uma vitória já no primeiro turno. O índice dos eleitores que apontam a decisão de voto citada como definitiva subiu de 51,3% para 58,9% entre a pesquisa divulgada no dia 19 e a de hoje. Esses eleitores afirmam que não mudarão de voto de jeito nenhum.

Além disso, outros 14,8% dos eleitores afirmaram que a decisão tomada é firme, mas que pode mudar ao longo da campanha (eram 18,2% sem levantamento anterior). Os que apontam uma definição como apenas uma preferência inicial, que durante a campanha pode mudar são agora 11,7% (eram 10,9%). Por fim, são 13,7% os eleitores que apontam que ainda não decidiram o voto nas avaliações de 2020. Esse índice era de 17,9% na pesquisa divulgada no dia 19. Os que não conhecemos ou não respondemos são 0,9% neste levantamento.

.



Fonte: Post Completo