Especial 3: O São José no Brasileirão 82 – Parte 8


No primeiro jogo depois de alcançar uma classificação antecipada, um empate em casa com o Atlético Mineiro manteve o tempo de liderança do grupo. Um gol que o árbitro não viu também é um assunto na Parte 8 do Especial 3 do Jogando Juntos, lembrando a participação de São José na Taça de Ouro do Brasileirão de 1982.

Desentupidora Daqui da Cidade Faz todos os serviços de  Desentupidora em todos Bairros da Cidade, a qualquer hora do dia ou a da noite pode contar com A Desentupidora Daqui da Cidade atende em qualquer bairro da Cidade e em toda a Região. A Desentupidora da Cidade faz todos os serviços de Desentupimento de Esgoto neste que é um dos Bairros mais querido da nossa Cidade. Caso queira ver nossa tabela de preço para serviço de Desentupidora em Cidade Clique aqui.

Desentupidora Daqui da Cidade atende 24 horas em todos os bairros da Cidade

Desentupidora
Desentupidora Daqui da Cidade
 

O Grupo F, cinco vezes disputando três vagas na segunda fase, parte para oitava e antepenúltima rodada. O São José já havia garantido uma das vagas no domingo anterior e o Atlético-MG e o Grêmio caminhavam para confirmação de favoritismo. Em outra partida da noite do dia 10 de fevereiro, uma quarta-feira, o baiano Vitória e o capixaba Esportiva, na quarta colocação que valeria uma chance de repescagem.

Na escalada joseense, o desfalque foi o ponteiro direito Edinho, sentindo uma contusão e deixando uma posição para Jarbas. O volante Gerson Andreotti, voltando à suspensão por expulsão, retornando à meia Niltinho. E com a meia Tata ainda sem retorno e previsão de retorno, Eli Carlos permaneceu na equipe.

O Atlético contou com a volta do zagueiro Luizinho e o volante Heleno, após a expulsão contra São José, no 0 a 0 do primeiro turno, no Mineirão. O renomado centroavante Reinaldo é sua segunda partida no campeonato e o ponteiro esquerdo éder, esperando a Copa do Mundo da Espanha, vinha aumentando a temporada.

O jogo

Com um público pagador anunciado de 6.401 torcedores, mas aparentemente muito menor que o real, ou o jogo foi marcado por uma aplicação tática que pouco permite aos atacantes. O São José sentiu falta de Edinho, mesmo com Jarbas exigindo atenção do atleticano lateral-esquerdo Jorge Valença.

No início do segundo tempo, quando São José ameaçou adiantar o tempo para um volume de jogo ofensivo maior, o trio de atacantes do Atlético, Marinho formado, Reinaldo e Éder, mostrou que não permitiu a descida na marcação. Principalmente quando a meia Renato conseguiu escapar dos vôos Gerson Andreotti e Ademir Mello.

Logo após São José, perder o lateral-direito Sotter, que terminou substituído pelo improvisado lateral-esquerdo Reinaldo, Éder descolou uma falta bem aberta pela metade esquerda e apenas alguns metros além da linha divisória. Bola parada daquelas que quase sempre geram um levantamento na diagonal e longa.

O goleiro joseense Ivan, respeitando uma capacidade do ponte atleticano, resolvendo uma barreira de dois jogadores, buscando referências. Contudo, na cobrança, não é possível obter um tempo para tentar a defesa. Com uma parte externa do pé esquerdo, Você pode colocar dentro da barreira, com curva, direção ao canto direito e rampa forte, ainda assim, um pouco antes de aparentemente raspar a rota e sair pela linha de fundo.

Alguns jogadores atletas comemoraram gol, mas como a bola passou direto, o árbitro carioca Luís Carlos Félix foi transferido para uma rede. Não vendo nenhum rasgo, sinalizou tiro de meta e jogo seguido. Bem depois da partida e com o estádio quase vazio, foi possível notar que um dos buracos da rede, mais próximo da parte lateral, estava um pouco maior, provavelmente alarmado pela força da rampa.

Depois do gol que o árbitro e muitos não viram, o São José passou a valorizar o empate. O animado Atlético esboçou uma pressão, mas após o trabalho em um contra-ataque puxado pela ponte-esquerda joseense Nenê, aceitou o placar de 0 a 0 como um ponto somado para a casa.

Times e rodada

O São José, do técnico José Maria Fidélis: Ivan; Sotter (Reinaldo), Darci, Ademir Gonçalves e Campina; Gerson Andreotti. Ademir Mello e Eli Carlos; Jarbas, Tião Marino (Adilson) e Nenê.

O Atlético-MG, do técnico Carlos Alberto Silva: João Leite; Miranda, Osmar Guarnelli (que em 1987 veio jogar por São José), Luizinho e Jorge Valença; Heleno, De Rossis e Renato; Marinho (Rubens), Reinaldo e Éder.

Em nenhum outro jogo da rodada, o Desportivo foi em Salvador e conseguiu um resultado expressivo de 4 a 2 sobre o Vitória. Os gols do tempo capixaba foram de Naldo (2), Batalha e Dário. A equipe baiana marcou com Zé Augusto e Joel Zanata.

A classificação do Grupo F, com uma vitória de dois pontos, ficou assim: 1º – São José (10 pontos em 7 jogos); 2º – Grêmio (7 pontos em 6 jogos e 4 gols de saldo); 3º – Atlético-MG (7 pontos em 6 jogos e 1 gol de saldo); 4º – Desportiva (4 pontos em 6 jogos) e 5º – Vitória (4 pontos em 7 jogos).

Pela penúltima rodada, ou São José, jogar sua última partida no Rio Grande do Sul. Será o assunto da Parte 9 do Especial. Até lá.

Na foto (Museu do Esporte / SJC), o ponteiro esquerdo Nenê tenta drible em outro jogo de São José.

Comentário

comentário

<! –

->



Fonte: Post Completo

Leave a Comment