Falta 1,4 km para concluir a pavimentação das ruas – Dependência Brasília


Foto: Joel Rodrigues / Agência Brasília
Com 3,2 milhas de extensão, a Rua 12 é um importante meio mercantil de Vicente Pires. No momento, há um trecho de 1,2 km em obras, no sítio | Foto: Joel Rodrigues / Dependência Brasília

Os moradores de Vicente Pires planejam uma atividade inusitada para comemorar o progressão das obras de urbanização da cidade: uma corrida de carrinho de rolimã pelo novo asfalto da Rua 8. Não faltam motivos para a celebração. Resta somente 1,4 quilômetro para concluir a pavimentação das vias da região administrativa, antes famosa por cenas recorrentes de enchente e alagamentos.

Desentupidora Daqui da Cidade Faz todos os serviços de  Desentupidora em todos Bairros da Cidade, a qualquer hora do dia ou a da noite pode contar com A Desentupidora Daqui da Cidade atende em qualquer bairro da Cidade e em toda a Região. A Desentupidora da Cidade faz todos os serviços de Desentupimento de Esgoto neste que é um dos Bairros mais querido da nossa Cidade. Caso queira ver nossa tabela de preço para serviço de Desentupidora em Cidade Clique aqui.

Desentupidora Daqui da Cidade atende 24 horas em todos os bairros da Cidade

Desentupidora
Desentupidora Daqui da Cidade
 

Nesta semana, foi finalizada uma pavimentação do último trecho da Rua 8, uma importante via que atravessa a cidade. Liga o Pistão Setentrião, em Taguatinga, diretamente à Rua 3, à única pista que liga a Estrada Parque Taguatinga Guará (EPTG) à via Estrutural. “É um sítio também muito movimentado por culpa do negócio. Agora está tudo asfaltado ”, afirma o gestor de Vicente Pires, Daniel de Castro Sousa.

A Rua 8 tem 5,3 milhas de extensão e a maior secção dela, 3,5 milhas, já havia sido asfaltada, por empresas contratadas por licitação pela Secretaria de Obras. Depois a desfecho das obras de drenagem, o governo incumbiu a Companhia Urbanizadora da Novidade Capital (Novacap) de pavimentar o trecho ainda sem asfalto, entre a igreja católica até a Rua 3. ”Foi preceito do governador Ibaneis fazermos esses serviços logo. Se esperamos por outra licitação, o serviço atrasaria mais pelo menos seis meses para iniciar ”, contabiliza o presidente da estatal, Fernando Leite.

No totalidade, a pavimentação do trecho consumiu pouco mais de dois meses da força de trabalho da Novacap. Os insumos foram financiados com recursos da Dependência de Desenvolvimento do DF (Terracap), que investiu R $ 1,5 milhão na empreitada. “Todo o governo está hipotecado em atender a demanda de Vicente Pires e é muito gratificante para todos nós ver o povo feliz com a obra”, completa Leite.

Concluir até 31 de dezembro

Agora, para toda a Vicente Pires ter asfalto, faltam a pavimentação de 200 metros da Rua 4A, próximo à governo regional, que precisa de um período de estiagem para ser feita; e a desfecho dos serviços de um trecho de 1,2 quilômetro na Rua 12, que está em obras.

Com 3,2 milhas de extensão, a Rua 12 é um importante meio mercantil de Vicente Pires. Em 2019, foram obtidos 442 metros de drenagem e pavimentação. No momento, a empresa HYTEC trabalha na realização da rede de águas pluviais e do asfalto: 1.554 metros de drenagem e pavimentação já foram feitos. Depois a instalação das manilhas e do asfalto, será feito os meios-fios e as calçadas. O investimento é de aproximadamente R $ 15 milhões.

Segundo Ricardo Terenzi Cardoso, subsecretário de Séquito e Fiscalização de Obras, 85% da drenagem e 60% da pavimentação estão disponíveis. Todas as manilhas devem ser colocadas até o término deste mês e a previsão é que o asfalto fique pronto na segunda semana de dezembro. “Faltam 100 metros para desfecho da rede de drenagem e pouco mais de um quilômetro para fazer uma pavimentação. Só preciso de dez dias sem chuva para passar a envoltório asfáltica ”, diz Terenzi.

Desde 2019, o GDF investiu R $ 530,4 milhões na urbanização de Vicente Pires, um trabalho que envolve a contratação de dez empresas e gera 1.650 empregos. Na estação, menos de 30% das vias de Vicente Pires tinha asfalto e 11 ruas estavam “abertas”, ou seja, com alguma obra em curso ou paragem. “A realização das obras já chega a 90%. O que era problema ontem agora tem solução definitiva ”, afirma o governador Ibaneis Rocha.

Foto: Divulgação
Grupo de moradores planejando organizar uma rua de lazer e uma corrida de carros de rolimã para comemorar a pavimentação | Foto: Divulgação

Comemoração

A teoria de fazer uma corrida de carrinho de rolimã surgiu da própria comunidade. Um dia, a professora Wercilene Gama Ribeiro Bonifácio, 49 anos, estava saindo do trabalho e voltando para moradia quando passou pela Rua 8. Ao ver o asfalto pronto, imaginou o sítio pleno de pessoas praticando atividades físicas. “Nem caminhadas podíamos fazer cá. Sempre precisamos trespassar de Vicente Pires para praticarmos alguma atividade de lazer. Outrossim, acho que hoje em dia as crianças ficam muito em moradia. Elas precisam ir para a rua divertir uma vez que antigamente ”, diz.

Em um grupo no whatsapp, ela falou da teoria para os vizinhos que logo toparam participar. Da iniciativa, surgiu o projeto Vem pra Rua VP, que tem percentagem organizadora, reúne 20 moradores e já fez até a primeira reunião.


O projeto comunitário quer promover uma Rua do Lazer no trecho de um quilômetro da via, entre a interseção com a Rua 4A e a Rua 3. O evento está marcado para 13 de dezembro, um dia sem chuvas, segundo a previsão do tempo.

O libido dos moradores foi ao encontro dos planos do gestor Daniel de Castro Sousa, que também participa do grupo. Ele já tinha mandado fazer um carrinho de rolimã pensando em descer o asfalto novo da Rua 3, onde antes até carros tinha dificuldade de transitar. “Sofremos demais na Rua 3. Os moradores ligavam para mim falando de um carro atolado lá. Íamos socorrer e voltávamos sujos de barro para a governo ”, conta Daniel.

Para a professora Wercilene Gama Ribeiro Bonifácio, os dias difíceis também aceitos para trás. “Sempre fiquei indignada ao ver meus alunos chegando na escola sujos de barro e permanecer presos até 21h esperando a água encolher para os pais conseguirem buscá-los”, diz. “Agora, a chuva voltou a ser uma bênção, não nos culpa mais pânico. É um sonho ver as ruas asfaltadas, com calçadas e meios-fios sendo feitos ”, completa a professora que chegou a anunciar sua moradia para venda, mas desistiu e tirou o proclamação. “Agora não saio mais daqui.”

* Confira o curso das obras de infraestrutura do Setor Habitacional Vicente Pires: *

Rua 1 (rua do Jóquei) – Serviços de drenagem, pavimentação e instalação de calçadas e meios-fios concluídos.

Rua 3 – Drenagem e pavimentação, calçadas e meios-fios concluídos. No momento, a empresa GW trabalha na construção das calçadas e instalação dos meios-fios.

Rua 3B – Serviços de drenagem, pavimentação e instalação de calçadas e meios-fios concluídos.

Rua 3C – Serviços de drenagem, pavimentação e instalação de calçadas e meios-fios concluídos.

Rua 4 – Drenagem e pavimentação, calçadas e meios-fios concluídos. No momento, a empresa Artec trabalha na construção das calçadas e instalação dos meios-fios.

Rua 4A – Obras de drenagem e pavimentação em curso.

Rua 4B (rua da delegacia) – Serviços de drenagem, pavimentação e instalação de calçadas e meios-fios concluídos.

Rua 4C (rua da Faculdade Mauá) – Serviços de drenagem, pavimentação e instalação de calçadas e meios-fios concluídos.

Rua 4D – Serviços de drenagem, pavimentação e instalação de calçadas e meios-fios concluídos.

Rua do Sicoob – Serviços de drenagem, pavimentação e instalação de calçadas e meios-fios concluídos.

Rua 5 – Os serviços de drenagem e pavimentação cumpridos em contrato estão concluídos. Secção dos serviços foram oferecidos pelo DER. Está em curso processo licitatório para a contratação do remanescente de obra.

Rua 6 – Os serviços de drenagem e pavimentação cumpridos em contrato estão concluídos. Está em curso processo licitatório para a contratação do remanescente de obra.

Rua 7 – Serviços de drenagem, pavimentação e instalação de calçadas e meios-fios concluídos.

Rua 8 – Serviços de drenagem e pavimentação concluídos. Instalação de meios-fios e fenda de bocas de lobo em curso.

Rua 10 – Os serviços de drenagem e pavimentação cumpridos em contrato estão concluídos. Secção dos serviços foram oferecidos pelo DER e pela Novacap. Está em curso processo licitatório para a contratação do remanescente de obra.

Rua 12 – Obras de drenagem, pavimentação, instalação de meios-fios, construção de calçadas e fenda de bocas de lobo em curso. Está em curso processo licitatório para a contratação do remanescente de obra.

Colônia Agrícola Samambaia – A empresa Evolução Engenharia Construções e Governo Ltda. já começou a atualização do projeto da região nas áreas em que serão desenvolvidas edições diversas e obras de drenagem e pavimentação. O valor do contrato é de R $ 1.968.098,63 e a empresa terá 12 meses para concluir os serviços.

Lagoas de detenção – O projeto prevê a construção de 22 lagoas (16 estão concluídas) e 85 dissipadores (40 estão finalizados).

Ponte sobre o regato Vicente Pires – A construção da ponte de 40 metros de extensão está concluída. Estão em curso uma vez que obras de construção do encabeçamento da ponte. A previsão é de que a ponte seja liberada para o tráfico de veículos em dezembro deste ano.

Obra de Arte Peculiar n. 2 – No momento, a empresa VP trabalha na construção de ponte sobre o regato Samambaia que vai vincular a Rua 4 direto à Estrada Parque Taguatinga Guará (EPTG). O monumento de 82 metros de extensão e 13,2 metros de largura está orçado em aproximadamente R $ 2,3 milhões e está previsto para ser entregue à população em dezembro deste ano.

Obra de Arte Peculiar n. 3 – O GDF contratou a empresa AJL Engenharia e Construções EIRELI, responsável pela construção de novidade ponte no Setor Habitacional Vicente Pires para conectar as Ruas 01 e 3B da região. O monumento terá 180 metros de extensão e 13,8 metros de largura. O investimento é de R $ 5.810.876,39 ea previsão é de que as obras sejam iniciadas nos próximos dias.

Galeria de Fotos

Falta 1,4 km para concluir a pavimentação das ruas



Nascente: Post Completo