Serviço de Desentupidora em São paulo

Maia ironiza carga de Weintraub no Banco Mundial


RAQUEL LOPES E DANIELLE BRANT
BRASÍLIA, DF

Desentupidora Daqui da Cidade Faz todos os serviços de  Desentupidora em todos Bairros da Cidade, a qualquer hora do dia ou a da noite pode contar com A Desentupidora Daqui da Cidade atende em qualquer bairro da Cidade e em toda a Região. A Desentupidora da Cidade faz todos os serviços de Desentupimento de Esgoto neste que é um dos Bairros mais querido da nossa Cidade. Caso queira ver nossa tabela de preço para serviço de Desentupidora em Cidade Clique aqui.

Desentupidora Daqui da Cidade atende 24 horas em todos os bairros da Cidade

Desentupidora
Desentupidora Daqui da Cidade
 

A demissão de Abraham Weintraub do Ministério da Educação (MEC), anunciada nesta quinta-feira (18), foi comemorada entre deputados e senadores pela oposição. Alguns parlamentares bolsonaristas saíram em defesa do agora ex-ministro.

O Desafio de Weintraub, presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), ironizou a saída do ministro e disse esperar que o MEC melhore. “Estava muito ruim o Ministério da Educação”, afirmou.

Maia também excluiu o ex-ministro e ironizou o convite que Weintraub recebeu para atuação no Banco Mundial. “É porque não sabemos quem trabalhou no banco Votorantim, que quebrou em 2009, era um dos economistas do banco.”

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

“Esperamos que alguém possa ter um Ministério de Educação comprometido com a educação e o futuro das nossas crianças”.

Após 14 meses e 10 dias em que o exame de polêmicas e pouco realizado no Ministério da Educação, o Weintraub cai em decorrência de um longo desgaste político com os ministros do STF (Supremo Tribunal Federal), agravado com o episódio do último domingo (14) comparou um protesto em Brasília de apoiadores do governo.

No encontro com manifestantes, sem ministros do STF, o Weintraub voltou a usar a palavra “vagabundos”, em uma referência a declaração de reunião ministerial de 22 de abril, em que disse: “Eu, por mim, colocamos esses vagabundos todos na cadeia. Começando no STF ”.

O deputado João Campos (PSB-PE), coordenador de uma comissão externa de acompanhamento dos trabalhos do MEC, enxergou uma saída como uma medida positiva.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A deputada Tabata Amaral (PDT-SP) disse que a saída do Weintraub é uma “morte anunciada”. A saída do pior ministro da educação da história é permitir milhões de jovens brasileiros ”, disse.

A decisão foi mais acertada, apesar de tardia, segundo deputado Sílvio Costa Filho (Republicanos-PE). “A demissão do ministro Abraham Weintraub foi uma decisão tardia, mas acertada. Infelizmente, enquanto estava na frente da Educação, ele não exibia nenhuma instrução educacional e pedagógica para o país. O que viu foram crises permanentes com todos os setores da educação no Brasil ”, disse.

O senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) defendeu que, mesmo com sua saída, Weintraub pagina por possíveis crimes cometidos. “Já vai tarde! Há tempos o Ministério da Educação, como o Brasil, está sem comando. É uma vitória da Educação! Mas vale lembrar: não é porque caiu que não vai deixar de pagar por eventuais crimes, viu? Isso vale para Bolsonaro e para Weintraub! O Brasil merece mais! ”, Postou.

No campo bolsonarista, a deputada Bia Kicis (PSL-DF) saiu em defesa do ex-ministro. “Que Deus abençoe você e sua linda família! E muita sorte à frente de sua nova missão ”, disse.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O tom foi compartilhado por Carla Zambelli (PSL-SP). “É com o coração partido, mas com todo o carinho que temos por você, que dizemos até logo. Desejamos o melhor para sua vida e sua família ”, disse o deputado, desejando sucesso ao ministro no novo cargo no Banco Mundial.

Portaria

Sobre uma revogação da portaria que estipula a reserva de vagas para negros, indígenas e pessoas com deficiência em programas de pós-graduação de instituições federais de ensino superior, Maia declarou que deve conversar com o próximo titular do MEC para tentar reverter uma medida. Disse que vai fazer isso na base de diálogo, "sem necessidade de votação de um projeto de decreto legislativo".

“O ideal é que pessoas consigam mostrar ao governo que essa última decisão do ministro, já saiba quem sair, talvez tenha legitimidade baixa em um tema tão importante e que gera tanta polêmica e tanto desgaste para o governo em todo o Brasil”, disse.

As informações são da FolhaPress

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE



Fonte: Post Completo